agosto 28, 2011

não sou uma pessoa de fé

não frequento igreja, não sou de rezar, mal sei ave-maria e pai-nosso direito. rezo do meu jeito, agradecendo meus antepassados e minha família, amigos e colegas. mas essa semana devo confessar que tinha um anjo da guarda cuidando de mim.

na terça-feira, num curto espaço de 8 km tomei duas fechadas no trânsito que não passaram de um susto mas podiam muito bem terminar em algo mais sério. nas duas a sorte foi que não tinha ninguém atrás e ninguém do lado do meu carro, especialmente do lado pois nas duas minha reação foi de jogar o volante para o lado contrário do que veio a fechada. se tem algo que consegue me tirar a calma é dirigir no trânsito desta cidade. nunca aprendi a dirigir com tranquilidade, a (má) postura dos demais motoristas me irrita de tal forma que me sinto livre para fazer as mesmas barbeiragens, o que é muito errado de minha parte. estou tentando melhorar nesse sentido, inclusive optando por ir de metrô pro trabalho para assim dirigir o mínimo possível. mas como manter a calma quando se leva duas fechadas em tão pouco tempo? é difícil, mas estou me policiando. o pior nem foi nesse dia...

na quarta-feira eu saí do trabalho e estava atravessando a avenida em frente ao prédio. são três pistas para atravessar, cada uma com um semáforo próprio. atravessei o primeiro e esperei o segundo. o problema é que eu sei lá no que estava pensando já assumi que o segundo e o terceiro fechariam juntos e fui atravessando no terceiro sem olhar. o carro na primeira faixa parou o na segunda também mas meu espanto foi ver uma ambulância quase passando com tudo na terceira faixa o que me fez acordar e perceber que estava verde pros carros! o coração disparou na hora, mas nem pensei muito no que tinha acontecido até chegar em casa, mas depois percebi que se o primeiro carro não tivesse parado eu talvez não estaria aqui pra contar a história... eu estava completamente distraído, e até agora não acredito na total imprudência que cometi, afinal aquela avenida já teve muitos atropelamentos, de pessoas da empresa em que trabalho inclusive!

se realmente tinha um anjo cuidando de mim, preciso agradecer muito a ele por esse dia! e agora presto atenção redobrada ao atravessar a rua!

té mais!

Um comentário :

Renata disse...

O trânsito realmente é um perigo! E acho que de tanta atenção que temos que ter, às vezes dá esses "apagões". Um dos motivos de eu começar a ir trabalhar de ônibus da empresa foi esse, chegou um momento que o trânsito me estressava tanto que eu comecei a andar no piloto automático, quando dava conta ja tinha percorrido metade do caminho sem prestar atenção em nada, um perigo. Aqui em sorocaba o volume de carros não é nem de perto o de SP, mas a cidade já não comporta mais e além disso os sorocabanos são extremamente barbeiros e muito mal educados no trânsito (só vi motorista pior que aqui no Rio de Janeiro). Pouco antes do Nando nascer quase batemos feio o carro por causa de um idiota que passou num cruzamento sem olhar. Nessas horas só anjo da guarda mesmo, seja ele qual for.
Beijos!